Flor_S2 * ' flor, inspirada, te inspira '

Pelos poderes de Greyscow, nós temos a foorçaaaaa

Google+ Followers

Novos horizontes

Corpos em movimento
Universo em expansão
O apartamento que era tão pequeno
Não acaba mais
Vamos dar um tempo
Não sei quem deu a sugestão
Aquele sentimento que era passageiro
Não acaba mais
Quero explodir as grades
E voar
Não tenho pra onde ir
Mas não quero ficar
Novos horizontes
Se não for isso, o que será?
Quem constrói a ponte
Não conhece o lado de lá
Quero explodir as grades
E voar
Não tenho pra onde ir
Mas não quero ficar
Suspender a queda livre
Libertar
O que não tem fim sempre acaba assim
.~Engenheiros do Hawaii

Sobre mudanças...

A Flor mudou de paisagem. Agora está no Tumblr. Vem comigo?!

Flor (e catarse)


Sobre as respostas

Vamos passear depois do tiroteio
Vamos dançar num cemitério de automóveis
Colher as flores que nascerem no asfalto
Vamos todo mundo… tudo que se possa imaginar
Vamos duvidar de tudo que é certo
Vamos namorar à luz do pólo petroquímico
Voltar pra casa num navio fantasma
Vamos todo mundo… ninguém pode faltar
Se faltar calor, a gente esquenta
Se ficar pequeno, a gente aumenta
Se não for possível, a gente tenta
Vamos ficar acima, velejar no mar de lama
Se faltar o vento, a gente inventa
Vamos esquecer o dia da semana
Tem que ser agora anos 90.
Vamos remar contra a corrente
Desafinar do coro dos contentes
Se não for possível
Se não for importante
Mesmo assim a gente tenta.
Não é pose, não é positivismo
Quanto pior, pior
Não é pose, não passará
Não passaremos por isso
Tô fora voodoo, ranso, baixo astral
Eu não vou perder meu tempo brincando de ser mal
Não vou viver pra sempre nem morrer a toda hora
Como rasgos pré-fabricados num novo velho blue jeans.
Morte anunciada, direitos autorais
Pela tv à cabo uma baleia acaba de nascer
Nascer pode ser uma passagem violenta
O futuro se põe
O passado não se agüenta.
Oooo…oooo..
Meninos e engenhos
Santa ingenuidade
Santíssima trindade: sexo, drogas, rock’n roll.
Oooo..ooo…
É pura pose, faz qualquer coisa
E o pior não é isso
É pura pose, posteridade
E o pior não é isso
Vamos passear depois do tiroteio
Vamos dançar num cemitério de automóveis
Vamos duvidar de tudo que é certo
Vamos namorar à luz do pólo petroquímico.
Lalarala…
Lalarala..
Laralala…
Laralala…
Laralala..
Vamos remar contra a corrente
Desafinar do coro dos contentes
Vamos ficar acima, velejar no mar de lama
Vamos esquecer o dia-a-dia, o dia-a-dia..aaa

Pose (completo), Engenheiros do Hawaii.

Sobre as respostas

Eu que falei nem pensar
Agora me arrependo roendo as unhas
Frágeis testemunhas
De um crime sem perdão

Mas eu falei sem pensar
Coração na mão, como o refrão de um bolero
Eu fui sincero
Como não se pode ser
E um erro assim tão vulgar
Nos persegue a noite inteira
E quando acaba a bebedeira
Ele consegue nos achar

Num bar,
Com um vinho barato
Um cigarro no cinzeiro
E uma cara embriagada no espelho do banheiro

Teus lábios são labirintos
Que atraem os meus instintos mais sacanas
O teu olhar
Sempre distante, sempre me engana
Eu entro sempre na tua dança de cigana

Teus lábios são labirintos,
Que atraem os meus instintos mais sacanas
E o teu olhar sempre distante sempre me engana
"Iê-iê" Eu sigo a tua pista todo dia da semana

Todo dia, todo dia da semana
Eu sigo a tua pista todo dia da semana
O que eu falei foi sem pensar
Foi sem pensar!

Engenheiros do Hawaii, Refrão de um Bolero.

Sobre o infinito e o abstrato

Peguei as chaves do carro, saí de casa. Dirigi, de inícío sem rumo, pelo meio sem ideias, mas prossegui, o trânsito não deixa pensar... Parei olhei a janela, chovia. E, por fim, eu soube que o que eu buscava era abstrato, não era como estar em algum lugar. Era infinitude.

Escolho você

A vida é curta
Mas os sonhos não são
Eu rio do pasado
Espero o futuro com a faca na mão

Defino cada passo que dou
Minhas escolhas revelam o que eu sou

E eu escolho você com todos seus defeitos
E esse jeito torto de ser
Eu escolho destino imperfeito
Todo carne, osso e confusão

Quem vive de principios
Não tem meios, nem fins
Eu quebro as minhas leis
Pois só assim elas pertencem a mim

E eu que sempre fui da turma do talvez
Me joguei sem paraquedas no sim

E eu escolho você com todos seus defeitos
E esse jeito torto de ser
Eu escolho destino imperfeito
Todo carne, osso e confusão

Não tem porque tentar se justificar
Se foi meu coração que decidiu por mim
Mas se a escolha fosse minha
Eu escolheria você mesmo assim

Eu escolho vc com todos seus defeitos
E esse jeito torto de ser
Eu escolho destino imperfeito
Todo carne, osso, pele, boca e coração

E eu escolho você com todos seus defeitos
E esse jeito torto de ser
Eu escolho destino imperfeito
Todo carne, osso e confusão

(Sandy)
(sim, eu me identifiquei com a letra, rsrs...)
Tua presença me imensa... 
Tua ausência, desespera.


... eu só queria pedir para continuar segurando a minha mão. 
Para continuar levando o meu coração para pegar sol e andar de roda gigante.

Duas noites no deserto.

Aprendi contigo
A navegar em qualquer tempo, qualquer mar
Aprendi contigo
A desarmar as armadilhas do caminho

Um ciclone atravessou as nossas vidas
De repente tudo fora do lugar
Hoje eu sei, só a mudança é permanente
De repente tudo está no seu lugar

Um fim de semana em outro mundo
Pode ser a salvação
Pode ser loucura
Acreditar que ainda exista salvação

Só se for contigo
Só contigo
Duas noites no deserto
Segunda-feira tudo está no seu lugar



Engenheiros do Hawaii

Só agora.

Agora eu entendo cada palavra dita por ti e que, naquele momento, me pareceram absurdas, algumas até sem sentido, desencontradas, impossíveis de serem reais. 
Agora eu entendo aquela vontade de colocar pra fora, aqueles pés na parede feito criança tentando entender o que ainda não tem entendimento.

Agora eu desentendo aquela angústia por um afago, não compreendo como pode ser tão contínuo e como pode consumir feito fogo na floresta, devasta mas enriquece o solo. Aquela inquietude misturada à exaustão, o não falar, o calar - porque para isso não há outra alternativa, porque engasgou e engasga até agora e talvez até sempre (risos - juro que sorri agora - não o sei por quê - sorri!).

Agora a mudança se desenvolve, mas não toca em mim... Feito ilha... Muda tudo ao redor, mas não muda em mim... Feito nuvem... Que está ao lado da imensidão, e continua sendo imensa como o céu, ainda que chuvosa.

E agora, neste próximo segundo, agora eu não entendo mais.

Verdade

O início da paixão é estratosférico, as pessoas não param quietas exibindo tudo que podem fazer. Depois passam a confessar o que realmente querem. A paixão é mentir tudo o que você não é. O amor é começar a dizer a verdade.

~ Fabrício Carpinejar

O Vento

"(...) Se a gente já não sabe mais
Rir um do outro meu bem,
Então o que resta é chorar e, talvez,
Se tem que durar,
Vem renascido o amor
Bento de lágrimas
Um século, três,
Se as vidas atrás
São parte de nós.
E como será?
O vento vai dizer
Lento o que virá,
E se chover demais,
A gente vai saber,
Claro de um trovão,
Se alguém depois
Sorrir em paz
Só de encontrar."

(Los Hermanos)

Ela...


... falava de sonhos sem medo de parecer ridícula. Gostava da leveza descompromissada de vez ou outra marcar encontro com seu livro favorito. Colecionava filmes água com açúcar sem se preocupar com o que achavam do seu intelecto. Enquanto todos buscavam o dourado do sol, ela comemorava o cheiro da chuva perfumando a casa. Afinal, era feita de barro, podia ser moldada de acordo com os dias e se o resultado não fosse o esperado, se deixava quebrar e se refazia. Redescobriu novos sabores nas palavras: tranquilidade, equilíbrio, alegria, palavras conhecidas que agora eram degustadas, lambuzadas, vividas. Descobriu com tristeza pessoas vazias. Não sabia se existia culpa, apenas identificou uma necessidade urgente de atenção, cuidado, tempo. Pois é, a gente precisa dedicar um pouco mais tempo pra um sorriso, um abraço, um conte comigo. Pessoas ficam amargas porque ficam por muito tempo sem experimentar o doce sabor da palavra gentileza. Só consegue ser gentil quem não espera nada em troca. Estava agora, em um de seus passeios noturnos a conversar com o vento. E quando a noite era só breu, enfeitava os cabelos com estrelas para clarear os pensamentos.
Renata Fagundes ~

...

"Estive doente.
Doente dos olhos, doente da boca, dos nervos, até.
Dos olhos que viram mulheres formosas
da boca que disse poemas em brasa
dos nervos manchados de fumo e café.
Estive doente
estou em repouso, não posso escrever.
Eu quero um punhado de estrelas maduras
eu quero a doçura do verbo viver."

(de um louco anônimo - transcrito por Caco Barcelos na extinta Folha da Manhã, Porto Alegre, RS)


~ Me senti transcrita.

Personal Renewal

O que se aprende na maturidade não são coisas simples, como adquirir habilidades e informações. Aprende-se a não voltar a ter condutas autodestrutivas, a não desperdiçar energia por conta da ansiedade. Descobre-se como dominar as tensões e que o ressentimento e a autocomiseração são duas das drogas mais tóxicas. Aprende-se que o mundo adora o talento, mas recompensa o caráter. Entende-se que quase todas as pessoas não estão a nosso favor nem contra nós, mas absortas em si mesmas. Aprende-se, finalmente, que, por maior que seja nosso empenho em agradar aos demais, sempre haverá pessoas que não nos amam. Trata-se de uma dura lição no início, mas que no fim se mostra muito tranquilizadora.

Renovação pessoal, por John W. Gardner

Além do que se vê

Brevemente, em Belém... A minha maior inspiração! ~Los Hermanos.